quarta-feira, 22 de abril de 2015

Cratera em rua completa dois anos em Santa Cecília do Pavão

Cratera em rua completa dois anos em Santa Cecília do Pavão

Em 16 de abril de 2013, fortes chuvas provocaram uma grande erosão na rua José Francioli, o Bairro da Fraternidade, em Santa Cecília do Pavão.
E o buraco na rua já completou dois anos, sem que providência alguma fosse adotada pela administração municipal. Bem que em meados de 2014, a prefeitura construiu um muro para conter a erosão, no entanto, sem êxito.
O assunto é tema de críticas e debate entre moradores daquela localidade, diante de postagem de vídeo na rede social.
Segundo o vereador Bruno Gavioli Cestário, a situação daquela rua inclusive já foi assunto de uma das poucas reuniões que a Câmara Municipal teve com o prefeito José Sérgio Juventino, o Padre Zezinho.
O vereador relata que "é muito triste.  Lastimável ver essa situação. Os vereadores cobram, criticam e principalmente indicam. Fazemos indicações para que situações sejam resolvidas. Eu, como vereador, posso lhes dizer que cobro muito, e fiz várias e várias indicações que, ao meu modo de ver, é para o bem da cidade e da população, mas quem executa, ou melhor, deveria executar é o poder executivo municipal".
A moradora Aparecida Henrique Martins, comenta que "a minha rua está feia. Se cair um carro no buraco tem que puxar de trator, e ainda mais tem deposito de lixo em cima do meio fio".
 
De acordo com o comunicador Claudinho Silva, da rádio Líder FM, "quanto acontecer uma tragédia neste local, talvez sim o prefeito de Santa Cecília do Pavão tome alguma providência. Mas o bom mesmo é se ele caísse dentro com seu carro, mas claro que isso nunca irá acontecer, pois ele nem vai lá ver como está a situação de perigo no local".
 
Diante do "estrago", Cássio Santos Amador lembra a todos "que esta rua não é uma estrada de terra numa área rural, e sim (era) uma rua asfaltada, numa das partes mais antigas da cidade de Santa Cecília do Pavão. Outro agravante é que esta região é perto da nascente do rio, e desmoronamentos podem acabar com ela!"

sexta-feira, 17 de abril de 2015

Ônibus da saúde de Santo Antônio da Platina pega fogo

Ônibus da saúde de Santo Antônio da Platina pega fogo

Um ônibus (placas AKD 0934/SAP) da prefeitura de Santo Antônio da Platina teve problemas mecânicos na manhã desta quinta-feira,dia 16, na entrada de Londrina,na BR-369, causando transtornos aos passageiros, a maioria pacientes viajando a hospitais e unidades de saúde.
O susto aconteceu quando do motor saiu uma fumaça escura.
O temor logo desapareceu assim que o motorista estacionou o ônibus ao lado da pista, pois ela esvaneceu.
De acordo com Anildo Floriando, o conhecido "Branco", diretor do departamento da Frota Municipal, foi feita revisão no coletivo na semana passada,"são incidentes que acontecem, mas acionamos o seguro, que providenciou o transporte de todos para o destino agendado e ,depois, retornaram de ambulâncias; a gente pede desculpas pelo desconforto, porém fizemos o que foi possível", declarou.
É que alguns passageiros se queixaram com o npdiario sobre o caso, alegando descuido, o que é rebatido por Branco. "Alguns que preferiram foram levados inclusive para a Casa de Apoio, mantida pelas prefeituras da região,que possui acomodações seguras",informou, acrescentando que o ônibus receberá nova revisão para detectar eventuais defeitos e evitar novos dissabores nas próximas viagens.
do NP Diário

MP vai cobrar Portal da Transparência em reunião com 49 prefeitos

MP vai cobrar Portal da Transparência em reunião com 49 prefeitos

Os prefeitos e vereadores dos 49 municípios que compõem o Núcleo Regional de Trabalho do Ministério Público de Proteção ao Patrimônio Público do Norte Pioneiro se encontrarão em reunião especial no Centro de Eventos de Santo Antônio da Platina no próximo dia 24 (sexta-feira), a partir das nove horas,em Santo Antônio da Platina. No local - que fica ao lado do parque de exposições da Efapi - os agentes serão orientados sobre as condutas que devem ser adotadas em relação ao Portal da Transparência, prevenindo-se eventuais irregularidades que possam ser cometidas.
O evento foi convocado e será coordenado pelos promotores de Justiça Kele Cristiani Diogo Bahena e Joel Carlos Beffa.

A promotora Kele explicou que a ideia é evitar problemas futuros e responder a dúvidas. Participarão da Amunorpi (Associação dos Municípios do Norte Pioneiro) e a Amunop (Associação dos Municípios do Norte do Paraná).
O evento já tem confirmada a presença também da promotora Maria Cecília Pereira, coordenadora do Centro de Apoio de Proteção ao Patrimônio Público do Paraná.
Os integrantes do MP são chamados de “soldados da lei”.O objetivo desse encontro será instrumentalizar os agentes políticos para que os site das instituições seja hospedado na Celepar (Companhia de Tecnologia da Informação e Comunicação do Paraná),empresa de economia mista de capital fechado, cujo maior acionista.A Celepar é a mais antiga empresa de Governo na área de Tecnologia de Informação do país e está à disposição das prefeituras e câmaras a custo zero.A ideia é desenvolver soluções de modernização da gestão pública voltadas à melhoria contínua dos serviços que os órgãos públicos prestam aos cidadãos paranaenses.
Há uma imposição legal obrigado executivos e legislativos a exibirem orçamentos e gastos, desde o hotel e restaurante onde o prefeito ficou hospedado e almoçou,por exemplo, até quanto e onde se investiu em assistência social.
Os portais devem ser alimentados e atualizados com essas informações e, por isso, o MP quer oferecer detalhes de como proceder para atender o que já está fundamentado em lei.
O Núcleo Regional de Trabalho do Ministério Público de Proteção ao Patrimônio Público do Norte Pioneiro foi aberto em 2003, em Ibaiti. Passou a funcionar depois em Santo Antônio da Platina e objetiva estruturar o Ministério Público para otimizar o cumprimento da atuação na área da proteção ao patrimônio público.
“Com as recomendações buscamos conscientizar os gestores públicos municipais e servidores acerca da importância da uniformidade dos procedimentos e atos administrativos, a fim de prevenir responsabilidades e evitar a prática de improbidade administrativa”, esmiuça Kele.
A entidade trabalha também em outras frentes, para coibir o nepotismo e regularizar a situação dos cargos em comissão nas 49 cidades que compõem a área de abrangência.
do NP Diário

terça-feira, 14 de abril de 2015

Presidente diz que diretora do Samae desrespeita Câmara de Santa Cecília

Presidente diz que diretora do Samae desrespeita Câmara de Santa Cecília

presidente da Câmara de Santa Cecília do Pavão, Joselito da Luz (PMDB), considerou como afronta, como falta de consideração e de respeito a resposta dada pela diretora presidente do Samae, Daniely Cavassane Rodrigues , a pedido de informações feito pela Câmara de Vereadores de Santa Cecília do Pavão.
"Não julgo pertinentes as informações pedidas", teria dito a responsável pelo Serviço Autônomo Municipal de Água e Esgoto (Samae), em ofício encaminhado ao Poder Legislativo. As informações se referiam a quadro de vencimentos do pessoal que trabalha naquela autarquia.
Durante sabatina na noite desta segunda-feira (13), o presidente Joselito começou por perguntar se Daniely Cavassane sabia qual era a função do vereador. Joselito ainda lembrou que, conforme o Regimento Interno, a Câmara tinha também como atribuição a convocação de servidores públicos para prestar informações aos vereadores.
Perguntada sobre algumas questões, a diretora presidente do Samae também não soube informar o número de ligações de água do município, nem precisar os investimentos feitos nos últimos cinco anos. Sobre os investimentos, ela se limitou a dizer que os dados estavam no site do Samae.
Na semana passada, ofício encaminhado por Daniely Cavassane já havia causado certo mal estar entre os vereadores. A diretora da autarquia de água e esgoto ceciliense não havia respondido à Câmara porque "estava atendendo questões mais urgentes".
Sobre tal resposta, o presidente Joselito considerou como "afronta, falta de consideração e desrespeito", visto que a Samae teria 30 dias para encaminhar as informações aos vereadores.
No cargo desde abril de 2014, Daniely Cavassane se limitou a responder apenas questões suscitadas em ofício enviado a ela em 6 de abril de 2015. Demais questões seriam objeto de novas convocações.
O que causa estranhamento é alguém em cargo público, no caso, a diretora-presidente do Samae, deixar de responder certos questionamentos, com o argumento de que tais itens não constavam de sua convocação. Deveria estar preparada e disposta a tratar de quaisquer questões envolvendo a autarquia que comanda.
Do Revelia